A forma como enxergamos a vida define a vida que viveremos

 

Muito se fala sobre a Lei da Atração, sobre atrairmos aquilo que pensamos e etc. Mas, e se tudo sempre esteve na nossa frente o tempo todo e apenas escolhemos mudar o nosso ponto de vista? Neste caso, seríamos capazes de olhar com novos olhos e enxergar um mundo novo. A forma como enxergamos a vida define a vida que viveremos. 

Ouvimos muito frases como “somos o que pensamos”. O “x” da questão não está no que você PENSA sobre si ou sobre a vida, mas sim no que você ACREDITA. É no acreditar que a sua vida se transforma na sua realidade mental. Isto porque se existe uma pequena luz dentro da sua mente que tem esperança, que acredita num mundo melhor, que sabe que as coisas podem ser diferentes e que você é capaz, só isto já é importante para fornecer pelo menos um pouco de motivação e determinação para que você possa realizar alguma mudança. Mas, se for o contrário, se não existir a crença de que algo é possível, não haverá então motivos para lutar, pois só lutamos por aquilo que acreditamos.

 

As crenças moldam a nossa vida

Nós somos feitos de crenças. Desde quando nascemos somos “ensinados” de acordo com as crenças dos nossos pais, dos nossos professores e de todas as pessoas próximas a nós. Isto começa a moldar a nossa mente e a criar um “mix de crenças” que começam a estruturar a nossa vida.

Muitas dessas crenças são o que chamamos de “crenças limitantes”. Como o nome sugere, são crenças que limitam o nosso progresso.

É fácil perceber quais são as crenças limitantes mais enraizadas em nossa mente. Normalmente são aquelas frases ecoam no nosso cérebro e que possivelmente escutamos muito na nossa infância, como:

“Sou muito velho para isso”

“Nunca vou conseguir dinheiro suficiente” ou “não tenho dinheiro para nada”

“Não é possível viver do que se ama”

“Eu não sou capaz”

“As coisas nunca dão certo para mim”

“Tudo precisa ser perfeito”

“Felicidade dura pouco”

“O dinheiro é a raiz de todo o mal” ou “Dinheiro é sujo”

“Não há dinheiro o suficiente”

Eu poderia dar milhares de exemplos de crenças limitantes que estão presentes na vida das pessoas. O fato das pessoas acreditarem nestas frases faz com que não tenham motivos para fazer o contrário, já que, segundo a crenças delas, o contrário não é real e nunca acontecerá.

 

PENSAR x ACREDITAR

Pensar, todos pensam. Não existe um consenso geral sobre a quantidade de pensamentos que temos por dia. Alguns cientistas estimam que temos entre 12.000 e 70.000 pensamentos diariamente, outros entre 25.000 e 50.000. Não importa quantos mil pensamentos temos por dia. O que importa é que a maioria deles surge de forma espontânea e não necessariamente deve pertencer a nós mesmos.

Quer você queira, quer não, a sua mente irá criar novos pensamentos sem a sua permissão. Visualizações que você não quer ver, lembranças que não quer ter, julgamentos que não quer fazer. Você não tem o controle sobre isso. Mas isto não precisa ser o fim do mundo.

Quanto mais você brigar com este fato, que é o que é, mais você estará fornecendo energia a estes pensamentos, fazendo com que eles continuem aparecendo cada vez com maior intensidade e frequência.

Aí entra a separação do que VOCÊ pensa e do que a SUA MENTE pensa. Você não precisa se identificar com os pensamentos que não condizem com aquilo que você acredita, e você não deve acreditar em tudo que a sua mente pensa. Se você acreditar em tudo que a sua mente diz, infelizmente isto moldará a sua realidade.

 

O que fazer?

Primeiro, é importante identificar quais são as crenças limitantes presentes em sua vida. Quais são os pensamentos que ecoam na sua mente? Quais são as frases que você mais diz, principalmente quando quer justificar alguma coisa que não foi feita ou cumprida?

Depois, questione. No momento que surgirem estes pensamentos, questione-os imediatamente. Duvide da sua mente.

Por que?

Por que penso isso?

Por que acho que é assim?

E se não for?

Como poderia ser a minha vida se eu acreditasse no oposto?

Este pensamento me prejudica ou me ajuda?

Após fazer o questionamento, afirme exatamente o oposto. Afirme e afirme até que isto substitua a crença anterior, transformado-a numa crença fortalecedora.

Você pode escolher quais crenças quer ter: limitantes ou fortalecedoras. A escolha sempre será sua. O que você escolhe?

 

 

A nossa realidade começa na nossa mente

Para concluir este artigo, reforço a ideia de que tudo começa na nossa mente. Veja este exemplo:

Maria acorda todos os dias às 9h da manhã, faz tudo rápido para estar às 10h no negócio da família. Todo o tempo que está no trabalho, que é cercado de problemas, discussões e stress, Maria só pensa em como ela não gostaria de estar ali. Junto com estes pensamentos, Maria também pensa em como tudo é difícil, como as mudanças não são reais, que ela não é capaz que conseguir coisas novas, que é difícil arrumar outro emprego, que ela deve permanecer lá, mesmo que isto lhe traga constantemente tristeza e insatisfação. Por acreditar que as mudanças não são possíveis e que ela não é capaz de arranjar outro trabalho, ela não tem motivação para fazer coisas novas. Então, no término do trabalho, Maria vai para casa às 17h, faz as suas tarefas habituais, vai dormir e acorda todos os dias às 9h da manhã.

Neste exemplo, Maria não acredita que mudanças são possíveis, acredita que tudo é difícil e isto gera um sentimento de que “não vale a pena tentar”.

Agora veja este exemplo abaixo:

Maria acorda todos os dias às 9h da manhã, faz tudo rápido para estar às 10h no negócio da família. Todo o tempo que está no trabalho, que é cercado de problemas, discussões e stress, Maria só pensa em como ela não gostaria de estar ali. Apesar de surgirem pensamentos como “tudo é dificil”, “as coisas não mudam” e “eu não sou capaz”, Maria escolhe não dar atenção a estas frases e decide provar o contrário para si mesma, afirmando “SE EU TENTAR EU CONSIGO SIM”, “EU SOU SIM CAPAZ”, “PARA AS COISAS MUDAREM, EU TENHO QUE MUDAR”. Então, Maria vai para a casa às 17h, começa a fazer um esquema do que deve ser feito, quais estratégias deverá utilizar e começa a por em prática o seu plano. Apesar de já ter passado do horário em que costuma ir dormir, a motivação é tanta que Maria nem sequer se sente cansada. No dia seguinte, Maria acorda às 7h da manhã, volta a trabalhar nos seus planos com tempo suficiente para estar às 10h no negócio da família. Maria está planejando a sua nova vida com foco, determinação e, principalmente, novos pensamentos e novas crenças fortalecedoras.

Neste segundo exemplo, Maria decidiu que era mais forte do que os pensamentos tóxicos na sua mente. Decidiu que era a hora da mudança e começou a ser sua própria amiga, criando para si novas crenças que a motivassem e que a fizessem seguir em frente.

 

Se você acredita que a vida é difícil, ela será difícil pois você nunca conseguirá ver a facilidade.

Se você acredita que o dinheiro é uma coisa ruim, você nunca será capaz de vê-lo como uma coisa boa.

Se você acredita que coisas boas não acontecem com você, você nunca será capaz de perceber quando acontece algo de bom.

O que você enxerga e o que você acredita, se transforma na sua realidade. 

 

Seja mais amigo de si mesmo. Crie para si novas crenças fortalecedoras! Quer mudar a sua vida? Comece mudando as suas crenças.

 

 

 

WhatsApp chat