Por favor, pare de perder o seu tempo!

Dizem que “tempo é dinheiro”. Esta é uma das maiores mentiras que ouvimos desde a nossa infância. O tempo é MUITO mais precioso do que o dinheiro.

 
Com o tempo, podemos conseguir mais dinheiro, mas dinheiro algum neste mundo nos consegue comprar mais tempo.
 
Todos os dias recebemos 86.400 segundos para serem utilizados da forma como desejarmos, mas todos eles devem ser gastos no mesmo dia. Não é possível guardar um segundo sequer para amanhã ou recuperar algum segundo de ontem.
 
A questão é que a maior parte da população, literalmente, joga o seu tempo no lixo. Quando fazemos coisas sem nexo e que não nos levarão a lugar nenhum, quando priorizamos outras atividades àquelas que realmente nos farão bem, quando deixamos a nossa família de lado para focar apenas num trabalho que só nos gera stress, estamos a jogar o nosso tempo para o alto. Este tempo jamais voltará.
 

Infelizmente, só nos damos conta de um fato quando ele se torna real nas nossas vidas.

 
Pergunte o valor do tempo para uma pessoa que já não tem mais os seus pais para abraçá-los. Pergunte o valor do tempo para os pais que já não têm mais as suas crianças pequenas no quarto ao lado, com as suas brincadeiras inocentes. Seus filhos cresceram e se tornaram adultos e aquele tempo jamais voltará. Pergunte o valor do tempo para uma pessoa com uma doença em fase terminal, que está fechada num hospital sem poder ver a luz do sol. Essa pessoa, infelizmente, não conseguirá comprar mais tempo para viver.
 
Quando dizem que devemos viver cada dia como se fosse o último, não significa que devemos viver no limite, pular de penhascos ou andar num carro a 200km/h. O principal conselho está no fato de que não devemos desperdiçar o nosso tempo.
 
Se soubéssemos o que pode acontecer daqui a um dia, uma semana ou um mês, com certeza não viveríamos os nossos dias a realizar tarefas sem sentido. Não perderíamos o nosso tempo com discussões inúteis e com reclamações fúteis. Não utilizaríamos os nossos minutos diários a procrastinar entre uma tarefa e outra, preguiçosos e deitados no sofá, enquanto a vida passa pela janela, com um infinito de possibilidades à nossa espera.
 
Também não podemos cair na ilusão de que o certo, então, seria adiar ou remarcar tudo aquilo que temos para fazer, pois isto ficará acumulado no nosso futuro e terá que ser feito um dia ou outro, prejudicando assim, o nosso tempo lá na frente.
 

Por isso, devemos utilizar o nosso tempo com sabedoria.

 
Cristian Barbosa, um dos maiores especialistas em gestão do tempo, criou o conceito chamado de Tríade do Tempo, categorizando as nossas tarefas em Importantes, Urgentes e Circunstanciais.
 
Tarefas Importantes são aquelas que têm significado para nós e estão diretamente ligadas à nossa visão de futuro, aos nossos objetivos e metas. Estas tarefas podem e devem ser feitas de forma constante, a curto, médio ou longo prazo. Por exemplo: ler aquele livro, fazer aquele curso, guardar dois dias inteiros na semana para o seu filho, finalizar um relatório, guardar dinheiro para aquela viagem, separar duas noites na semana para fazer algo especial com o/a companheiro/a…
 
O que for urgente, deve ser feito já, é algo que não pode ser mais prolongado. Tarefas Urgentes são aquelas que não podemos prever ou, então, são tarefas que já foram um dia Importantes, mas que não foram cumpridas por nós dentro de um período de tempo “confortável”. Quanto mais valorizamos e cumprimos as nossas tarefas importantes, menos tarefas urgentes teremos, diminuindo também o nosso stress. Por exemplo: algum imprevisto que surge no trabalho e que deve ser resolvido já, entregar um relatório até o final do dia (caso tivesse, inicialmente, uma semana para concluir, esta tarefa era Importante mas virou Urgente)…
 
Tarefas Circunstanciais são todas aquelas que não são importantes ou urgentes. São tarefas que não nos levarão a lugar algum e que não têm relação direta com a nossa visão de futuro. O que for circunstancial deverá ser feito somente quando as outras tarefas estiverem cumpridas. Por exemplo: assistir à novela ou ficar passando a timeline do Facebook sem nenhum objetivo específico…
 
Esta fórmula de priorização pode ser utilizada para um melhor aproveitamento do tempo, de forma a que não gere arrependimentos no futuro.
 
Ouvimos muito por aí “Estou fazendo isso para passar o tempo, não tenho nada para fazer”. Já ouviu alguém na rua dizendo “Estou a gastar este dinheiro por gastar, não tenho nada para comprar”?
 
Quando destinamos o nosso tempo a, literalmente, nada, não valorizamos estes preciosos minutos e deixamos a preguiça falar mais alto. Nos auto-sabotamos ao dizer “não tenho nada para fazer”. Ter este tempo livre nesses momentos é uma dádiva que poucas pessoas têm. Quando acontecer, use-o com algum objetivo e assuma esse objetivo. Por exemplo, se escolher fazer nada, que este “nada” tenha como objetivo descansar a sua mente. Também poderá usar o tempo livre para meditar, fazer algum exercício, brincar com os seus filhos, conversar com um amigo, criar estratégias para alcançar as suas metas, ver um vídeo inspirador, começar a ler um livro novo, dizer a alguém “obrigado” ou “eu te amo”. Mas por favor, não jogue o seu tempo no lixo!
 
Qual é o legado que você quer deixar para o mundo? E, se não para o mundo, como quer ser lembrado pelas pessoas que estão a sua volta?

 

 

O que você tem feito com o seu tempo até agora?

 
Não vemos por aí pessoas a jogarem dinheiro na rua. Por isso, não faça a mesma coisa com o seu tempo. Estamos sempre a definir as nossas prioridades. Se os nossos filhos pedem para brincar e dizemos que não podemos por ter muito trabalho a fazer, estamos priorizando o nosso trabalho. Pais que perderam seus filhos dariam tudo por mais 5 minutos de brincadeiras infantis.
 
Se temos um grande sonho (realista e tangível) e escolhemos ficar deitados no sofá, escolhemos aceitar que a preguiça se manifeste. A prioridade não é mais o nosso sonho. As consequências dessa escolha serão nossas e, depois, não adiantará reclamar pelo tempo perdido.
 
“Ah, mas são só 5 minutos…”. Por questão de milésimos de segundos, um atleta olímpico fica com a medalha de prata. Também por milésimos, um outro atleta que praticou a vida toda, nem ao pódio consegue subir. Casais apaixonados fazem de tudo para poderem estar juntos por alguns minutos a mais. Famílias desejavam ter tido apenas um minuto para dizerem ao ente querido que o amavam, antes que este deixasse este mundo.
 
Um minuto faz toda a diferença.
 
O que você faria se só tivesse um mês para viver? Como utilizaria este tempo?
 

O tempo é o bem mais valioso que temos na nossa vida. Devemos utilizá-lo de forma consciente.

 
Jamais conseguiremos o nosso tempo de volta, mas podemos sempre tomar a decisão de, a partir deste minuto, usá-lo ao nosso favor.
 
Sejamos inteligentes, vivamos a vida na sua plenitude. Aproveitemos todos os instantes e todos os segundos que nos são dados de presente para viver no Presente.
 
Isto é o que desejo a todos vocês do fundo do meu coração.
Abraços carinhosos,
Gabriella
WhatsApp chat